"O educador nunca estará definitivamente pronto, formado, pois que sua maturação se faz no dia a dia na meditação teórica sobre a prática." (Lukesi)

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Síndrome de Burnout

"(…) um estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional".

Herbert J. Freudenberger

Uma nova síndrome tem afetado professores, médicos, efermeiros e profissionais de outras áreas desgastantes: a Síndrome de Burnout. Essa síndrome costuma afetar pessoas que trabalham em profissões que requerem contato direto com o público.

"O impacto dos fatores estressantes sobre profissões que requerem grau elevado de contato com o público (...) De origem inglesa, este termo significa: queimar, ferir, estar excitado, ansioso." site: www.webartigos.com/

As causas principais são: excesso de trabalho; se esforçar exessivamente e desempenhar funções além das quais você foi designado; desilusão: perceber que o trabalho não era o que se esperava; decepção com superiores ou colegas.

Uma das grandes causas são as expectativas exageradas em relação ao seu próprio desempenho. Professores novatos são os que mais sofrem esse sintoma, pois, geralmente entram na sala de aula com uma alta expectativa de fazer a diferença.

"A princípio parece tudo a mesma coisa, mas não é tão simples assim, pois como as causas são diferenciadas o tratamento só será eficaz se o diagnóstico for preciso. Não se tratam sintomas de burnout com diagnóstico de depressão e, por isso, o médico ou psicólogo que for realizar o diagnóstico deverá esmerar-se em decobrir as causas reais ao invés de considerar apenas os sinais e sintomas indicativos. Daí a importância de se aprofundar no assunto. Não apenas os profissionais em potencial para desenvolver a Burnout, no sentido de se prevenirem, mas principalmente os profissionais médicos e psicólogos, que são os mais indicados e procurados para a detecção e combate da síndrome." http://www.educead.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário