"O educador nunca estará definitivamente pronto, formado, pois que sua maturação se faz no dia a dia na meditação teórica sobre a prática." (Lukesi)

sábado, 9 de novembro de 2013

Quadro comparativo de paradigma de ensino

ENSINO COMO REPRODUÇÃO DO CONHECIMENTO
ENSINO COMO PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO
Enfoca o conhecimento "sem raízes" e o dá como pronto, acabado,inquestionável;
 Enfoca o conhecimento com base na localização histórica de sua produção e o entende como provisório e relativo;
 valoriza i mobilismo e a disciplina intelectual tomada como produção de palavras, textos e experiencias do professor e do livro;
 Valoriza a ação reflexiva e a disciplina tomada como a capacidade de estudar, refletir e sistematizar o conhecimento;
 Privilegia a memória e a repetição do conhecimento socialmente acumulado.
 Privilegia a intervenção no conhecimento socialmente acumulado;
 Usa síntese elaborada para melhor passar informações aos estudantes, muitas vezes reproduzidas de outras fontes;
 Estimula a análise, a capacidade do compor e recompor dados, argumentos e ideias;
 Valoriza a precisão a "segurança", a certeza e o não questionamento;
 Valoriza a ação, a reflexão crítica, a curiosidade, o questionamento exigente, a inquietação e a incerteza, características do sujeito cognoscente;
Premia o pensamento convergente, a resposta única e "verdadeira" e o sentimento de certeza;
 Valoriza o pensamento divergente, parte da inquietação e/ou provoca incerteza;
Concebe a disciplina curricular como espaço próprio do domínio do conteúdo e, em geral dá a cada uma o status de mais significativa do currículo acadêmico;  
 Concebe a pesquisa como atividade inerente ao ser humano, um modo de apreender o mundo, acessível a todos ea nível de ensino, guardadas as devidas proporções; 
 Valoriza a quantidade de espaços de aula que ocupa para poder "ter a matéria dada" em toda sua extensão;
 Valoriza a qualidade dos encontros com os alunos e deixa a estes tempo disponível par ao estudo sistemático e a investigação;
Concebe a pesquisa como atividade exclusiva  de iniciados, em que o aparato metodológico e os instrumentos de certezas se sobrepõem à capacidade intelectiva de trabalhar com a dúvida;  
 Concebe a pesquisa como atividade inerente ao ser humano, um modo de apreender o mundo, acessível a todos e a qualquer nível de ensino, guardadas as devidas proporções;
Incompatibiliza o ensino com a pesquisa e com a extensão, dicotomizando o processo de aprender;
 Entende a pesquisa como instrumento de ensino e a extensão como ponto de partida e de chegada da apreensão da realidade; 
 Requer um professor "erudito" que pensa deter com segurança os conteúdos de sua matéria de ensino;
 Requer um professor inteligente e responsável, capaz de estimular a dúvida e orientar o estudo para a emancipação;
Colocar o professor como principal fonte de informação que, pela palavra, repassa ao estudante o estoque que acumulou.   
 Entende o professor como mediador entre o conhecimento, a cultura e a condição de aprendiz do estudante.

Fonte: veiga, 2002, p (120) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário