"O educador nunca estará definitivamente pronto, formado, pois que sua maturação se faz no dia a dia na meditação teórica sobre a prática." (Lukesi)

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Estudo de casos sobre necessidades educacionais especiais

Objetivos: Analisar por meio de estudos de casos as características de cada deficiência, identificando-as, assim como  o tipo  de atendimento educacional especializado condizente para cada caso.

Caso nº 1
Definição: alteração genética caracterizada pela presença de um terceiro cromossomo de número 21. A causa da alteração ainda é desconhecida, mas existe um fator de risco identificado. Ele aumenta para mulheres que engravidam com mais de 35 anos. Além do déficit cognitivo, são sintomas as dificuldades de comunicação e a hipotemia (redução do tônus muscular). Quem tem a síndrome também pode sofrer com problemas na coluna, a tireoide, nos olhos e no aparelho digestivo, entre outros, muitas vezes nasce com anomalias cardíacas, solúveis com cirurgias.   
Caso nº 2
Definição: transtornos com influência genética, causados por defeitos em partes do cérebro. Geralmente se manifestam nos primeiros 5 anos de vida. É caracterizado por dificuldades de interação social, de comportamento ( movimentos estereotipados, como rodar uma canta, ou enfileirar carrinhos) e de comunicação atraso na fala.
Caso nº 3
Definição: condição causada por má formação na orelha, conduto (cavidade que leva ao tímpano). Tem origem genética ou pode ser provocada por doenças infecciosas como rubéola ou meningite. Pode ser leve, moderada, severa ou profunda. Quanto mais aguda, mais difícil é o desenvolvimento da linguagem.
Caso nº 4
Definição: ocorrência de duas ou mais deficiências: autismo com síndrome de Down, uma intelectual com outra física, uma intelectual como uma visual ou auditiva. Traz problemas de comunicação e mobilidade. O surdo-cego pode apresentar dois comportamentos distintos isola-se ou é imperativo. 
Caso nº 5
Definição: uma variedade de condições que afeta a mobilidade e a coordenação motora geral de membros ou da fala. Pode ser causada por lesões neurológicas, neuromuscular e ortopédicas, más-formações congênitas ou por condições adquiridas. Características: são comuns as dificuldades em função do comprometimento motor. Muitos precisam de cadeiras de rodas ou muletas para se locomover. Outros só precisam de material adaptados como suportes para lápis. etc.   
Caso nº 6
Definição: funcionamento intelectual inferior à média (QI), que se manifesta antes dos 18 anos. Está associada às limitações adaptativas em pelo menos duas árias de habilidades (comunicação e autocuidado, vida no lar, adaptação social, saúde, segurança, uso de recursos da comunidade, determinações, funções acadêmicas, lazer e trabalho).
Caso nº 7
Definição: condição apresentada para quem tem baixa visão (em geral 40 e 60%) ou cegueira (resíduo mínimo de visão ou perda total) que leva a necessidade de usar o braile para ler e escrever. Características: a perda visual é causada principalmente por duas doenças congênitas glaucoma e catarata.
Caso nº 8


Definição: Tem capacidade incomum de raciocínio. Concentra-se em uma única atividade durante um período prolongado sem se aborrecer. Cria suas próprias soluções para os problemas e exibe um "senso comum" pouco usual. Interesse por atividades variadas (desenhar, cantar, dançar, escrever, tocar instrumentos).

Respostas:

Caso nº 1: síndrome de Down
Caso nº 2: autismo
Caso nº 3: deficiência auditiva
Caso nº 4:deficiências múltiplas
Caso nº 5:deficiência física
Caso nº 6 :deficiência intelectual 
Caso nº 7: deficiência visual
Caso nº 8: altas habilidades ou superdotação

Nenhum comentário:

Postar um comentário