"O educador nunca estará definitivamente pronto, formado, pois que sua maturação se faz no dia a dia na meditação teórica sobre a prática." (Lukesi)

sexta-feira, 3 de março de 2017

O papel e a formação do professor Curso Normal Médio

Escolha da carreira

Na maioria das vezes, os professores iniciam a carreira docente divididos entre necessidades pessoais e valores profissionais, inseguros e por isso, com muito apego ao que lhe foi ensinado. Eles querem ser competentes e ter êxito, mas lhe faltam manejo e experiência docente. Têm medo de ousar e muitas dúvidas quanto ao que, quando e como ensinar. E, na verdade, falta-lhes conhecer melhor o que ensinam.
Desta forma os professores precisam ter em mente que é preciso:
·         Apresentar e desenvolver os conteúdos de maneira que os alunos não aprendem de forma arbitrária, sem critérios, o que a humanidade elaborou e nos deixou de herança;
·         Promover capacidades de raciocínio, que permitam aos alunos aprimorar seus conhecimentos e refletir criticamente sobre o que aprenderam de modo a ampliar sua visão de mundo físico e social;
·         Formar responsabilidade social, levando os alunos a construir projetos pessoais nos quais estejam assegurados os valores democráticos.
Com o tempo, os professores percebem que o papel que lhes cabe é muito maior do que suponham. E aí, muitas vezes, vem o “frio na barriga”. Afinal é grande a responsabilidade de fazer com que os alunos aprendam a exercer sua cidadania, isto é, reivindicar seus direitos e ter a consciência dos seus deveres para com a sociedade. Embora os professores soubessem que esse era o ponto essencial da sua profissão, parece que nunca foram preparados para realização dessa tarefa.
Então, eles começam a se questionar sobre seu contexto de trabalho e o papel que desempenham. Percebem que ser professor é um ofício central para o desenvolvimento das crianças. Afinal, o preparo das futuras gerações depende, em grande parte, deles.
Ser professor é despertar “futuros”, é criar gente que pensa, aprende, faz, avalia, e refaz tudo de novo ser for necessário, “Ser professor é contribuir para que muitas histórias sejam escritas” ser professor é ainda garantir que todos os alunos tenham sucesso na sua trajetória escolar. É ter a clara noção de que o fracasso nos estudos, quando acontece, é em grande parte responsabilidade dele.

Um eterno aprendiz

Sabemos que a responsabilidade não é exclusivamente do professor. Mas ele deve ter consciência de que é preciso redefinir esse papel, aprender a ser professor nos dias atuais, para as crianças de hoje.
Um bom começo é fazer com que os alunos se sintam aceitos e respeitados em suas diferenças, por exemplo, não economizando elogios. Erra quem tenta colocar todas as crianças num mesmo molde. A chave do sucesso docente é, dentre outros aspectos, aprender a lidar com as diferenças e os níveis desiguais que caracterizam cada turma.
Outra atitude a evitar é a do isolamento. Mas do que nunca é preciso trocar ideias, expor as dificuldades enfrentadas. Realizar sistematicamente discussões com outros professores sobre conteúdos curriculares métodos de ensino e aprendizagem, comportamento infantil e aspectos desafiadores encontrados na prática cotidiana. Tais atitudes são um a ótima alternativa para aperfeiçoar a ação pedagógica.
O contato com outros professores ajuda, em muito, na formação do comportamento profissional e, em especial, na transformação de atitudes. É importante participar de cursos de capacitação e atualizar-se e conhecer novos recursos metodológicos e os temas educacionais que estão sendo discutidos.
É preciso lutar ainda, por melhorias no salário, pela valorização profissional e, finalmente por condições de trabalho que permitam uma prática pedagógica que de fato garanta o sucesso dos alunos.

As características de um vencedor

Todo mundo sabe quem é um bom professor, mas é difícil descrevê-lo. Pode se dizer que um profissional seguro e competente e que tem ambições elevadas: deseja ser bem sucedido o que não significa necessariamente galgar postos elevados na carreira de magistério. Quer alfabetizar bem, estimular os alunos para o mundo da leitura e despertar paixão pelo conhecimento.   
De um modo geral, os bons professores deixam doces e fortes lembranças nos alunos. De alguma forma eles são capazes de perceber o sentido social de sua profissão e, especialmente, de sua repercussão na escola ou mesmo na comunidade. Na sala desses professores há um clima afetuoso de camaradagem e companheirismo e, sobretudo, de respeito às diferenças e características individuais dos alunos.
Um bom professor procura estar atento as manifestações e anseios de seus alunos; maneja bem a classe diversificando as estratégias de ensino; conhece processos de avaliação e sabe, mais do que ninguém que eles não servem para selecionar alunos, e sim para conhecê-los melhor e para reorientar o modo de ensinar. Valorizar os erros cometidos pelas crianças porque tem consciência de que só erra quem se expõe, quem faz.

A cartilha 7 por 7 do professor

Isto sim
1 Ouvir que os alunos tem a dizer.
2 Responder sem humilhações agressões verbais ou qualquer tipo de grosseria.
3 Só responder o que sabe e pesquisar sobre o que não sabe.
4 Argumentar em vez de impor.
5 Propor e orientar trabalhos em grupo.
6 Discutir os problemas da sala com a própria turma.
7 Ter interesse no dia a dia do aluno fora da sala de aula.

Isto não
1 Agir de maneira autoritária.
2 Usar de coação e ameaças para conseguir controlar a turma.
3 Humilhar os alunos.
4 Enrolar com conversas que fogem ao conteúdo ensinado.
5 Faltar demais: uma vez pode até ser divertido ficar sem aula, mas eles não querem ser prejudicados.
6 Ser negligente em sala de aula, por exemplo, pedir uma atividade e não se lembrando de cobrá-la.
7 Reclamar em sala de salários e as condições de trabalho na escola.

10 qualidades que se espera de um professor...

1 Pontual: afinal, espera-se que o professor dê o exemplo.
2 Assíduo: existe um planejamento com uma sequência de conteúdo a serem ensinados – ele precisa ser cumprido.
3 Dedicado: atividade docente exige empenho para preparar as aulas e as avaliações e discutir as práticas coletivamente.
4 Cordial: Sempre e com todos, mesmo em situações de conflito eminente.
5 Curioso: Ele não pode não pode parar de se perguntar “Será que posso ensinar de um jeito mais eficiente?
6 Confiável: os alunos precisam se sentir seguros para aprender.
7 Dinâmico: é esperado que se proponha projeto para atingir os objetivos da escola.
8 Organizado: tem manter pastas e portfólio com as produções dos alunos.
9 Participativo: não basta ir às reuniões de trabalho coletivo, precisa dar contribuições efetivas.
10 Equilibrado: a vida pessoal não deve interferir na profissional. Para tanto discrição e bom senso são essenciais.   

Referências:
Programa de Aprendizagem para Professores dos Anos Iniciais da Educação Básica. Ofício de Professor – Aprender Mais para Ensinar Melhor.
Revista Nova Escola – Guia do professor iniciante.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário