"O educador nunca estará definitivamente pronto, formado, pois que sua maturação se faz no dia a dia na meditação teórica sobre a prática." (Lukesi)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Novas competências profissionais para ensinar

 1. Organizar e dirigir situações de aprendizagem
Conhecer, para determinada disciplina, os conteùdos a serem ensinados e sua tradução em objetivos de aprendizagem.
Trabalhar a partir das representações dos alunos.
Trabalhar a partir dos erros e dos obstáculos à aprendizagem.
Construir e planejar dispositivos e seqüências didáticas.
Envolver os alunos em atividades de pesquisa, em projetos de conhecimento.
2. Administrar a progressão das aprendizagens.
Conceber e administrar situaçôes-problema ajustadas ao nível e às possibilidades dos alunos.
Adquirir uma visão longitudinal dos objetivos do ensino.
Estabelecer laços com as teorias subjacentes às atividades de aprendizagem
Observar e avaliar os alunos em situações de aprendizagem, de acordo com uma abordagem formativa.
Fazer balanços periódicos de competências e tomar decisões de progressão
Rumo a ciclos de aprendizagem.
3. Conceber e fazer evoluir os dispositivos de diferenciação
Administrar a heterogeneidade no âmbito de uma turma.
Abrir, ampliar a gestão de classe para um espaço mais vasto.
Fomecer apoio integrado, trabalhar com alunos portadores de grandes dificuldades
Desenvolver a cooperação entre os alunos e certas formas simples de ensino mútuo
Uma dupla construção.
4. Envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho
Suscitar o desejo de aprender, explicitar a relação com o saber, o sentido do trabalho escolar e desenvolver na criança a capacidade de auto-avaliação.
Instituir um conselho de alunos e negociar com eles diversos tipos de regras e de contratos.
Oferecer atividades opcionais de formação.
Favorecer a definição de um projeto pessoal do aluno.
5. Trabalhar em equipe
Elaborar um projeto em equipe, representações comuns.
Dirigir um grupo de trabalho, conduzir reuniões.
Formar e renovar uma equipe pedagógica.
Enfrentar e analisar em conjunto situações complexas, práticas e problemas profissionais.
Administrar crises ou conflitos interpessoais.
6. Participar da administração da escola
Elaborar, negociar um projeto da instituição.
Administrar os recursos da escola.
Coordenar, dirigir uma escola com todos os seus parceiros.
Organizar e fazer evoluir, no âmbito da escola, a participação dos alunos.
Competências para trabalhar em ciclos de aprendizagem.
7. Informar e envolver os pais
Dirigir reuniões de informação e de debate.
Fazer entrevistas.
Envolver os pais na construção dos saberes
8. Utilizar novas tecnologias
A informática na escola : uma disciplina como qualquer outra, um savoir-faire ou um simples meio de ensino ?
Utilizar editores de texto.
Explorar as potencialidades didáticas dos programas em relação aos objetivos do ensino.
Comunicar-se à distância.
Utilizar as ferramentas multimídia no ensino.
Competências fundamentadas em uma cultura tecnológica.
9. Enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão
Prevenir a violência na escola e fora dela.
Lutar contra os preconceitos e as discriminações sexuais, étnicas e sociais.
Participar da criação de regras de vida comum referentes à disciplina na escola, às sanções e à apreciação da conduta.
Analisar a relação pedagógica, a autoridade e a comunicação em aula
Desenvolver o senso de responsabilidade, a solidariedade e o sentimento de justiça
Dilemas e competências.
10. Administrar sua própria formação contínua
Saber explicitar as próprias práticas.
Estabelecer seu próprio balanço de competências e seu programa pessoal de formação continuada.
Negociar um projeto de formação comum com os colegas (equipe, escola, rede).
Envolver-se em tarefas em escala de uma ordem de ensino ou do sistema educativo.
Acolher a formação dos colegas e participar dela.
Ser agente do sistema de formação contínua.

Philippe Perrenoud




Nenhum comentário:

Postar um comentário