"O educador nunca estará definitivamente pronto, formado, pois que sua maturação se faz no dia a dia na meditação teórica sobre a prática." (Lukesi)

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Jogos para Alfabetizar Descubra a Palavra


Objetivos do jogo:  

Descobrir a palavra que falta na frase através de leitura. 
Fazer associação da letra bastão com a letra cursiva.

Este jogo pode ser jogado individual, em dupla ou em grupo. 
Pode ser jogado como dominó ou apenas completando o desafio de achar a palavra que falta na frase. 

Material: 

Papel cartão
Tesoura 
Cola 
Cartela contendo as frases e palavras ( estão no final da página)  


Como fazer o jogo está no vídeo abaixo: 


AS CARTELAS

JOÃO JOGA...
BOLA
O GELO É...
FRIO
A GALINHA PÕE...
OVOS
O CACHORRO É...
PELUDO
O PEIXE NADA NO...
RIO
O VESTIDO É...
AZUL
AMANDA COMEU O...
BISCOITO
O SAPO PULA NO...
LAGO
O SOL É...
QUENTE
O LIMÃO É...
AZEDO
A GALINHA TEM
PENAS
A ÁGUA DO MAR É...
SALGADA
O PASSARINHO...
VOA

João joga...
bola
O gelo é...
frio
A galinha põe...
ovos
O cachorro é...
peludo
O peixe nada no...
rio
O vestido é...
azul
Amanda come o...
biscoito
O sapo nada no...
lago
O sol é ...
quente
O limão é...
azedo
A galinha tem...
penas
A água do mar é...
salgada
O passarinho...
voa

Bola
BOLA
Frio
FRIO
Ovos
OVOS
Peludo
PELUDO
Rio
RIO
Azul
AZUL
Biscoito
BISCOITO
Lago
LAGO
Quente
QUENTE
Azedo
AZEDO
Penas
PENAS
Salgada
SALGADA
Voa
VOA

Poderá gostar também de:

sábado, 30 de junho de 2018

Plano de aula trabalhando valores


Objetivos:

  • Ouvir atentamente a história contada “Os músicos de Bremen" 
  • Interpretar a história de forma oral.
  • Discutir sobre os valores que são apresentados na história como:cooperação, carinho e a importância do respeito que devemos ter para com os nossos amigos, pais e idosos.   
A HISTÓRIA EM VÍDEO

Procedimentos metodológicos

  • Iniciar a aula apresentado a história dos Músicos de Bremen aos alunos, perguntando se eles já conhecem a história? Logo em seguida contar a história de forma lúdica usando fantoches ou imagens dos personagens para chamar atenção da turma.
  • Logo após contar a história coloque as crianças em círculo e converse sobre o tema amizade, aproveite para resgatar os valores necessários para a convivência em grupo, como: respeito, cooperação, carinho, etc. Em seguida entregue aos alunos papel e giz de cera para cada um desenhar seu amigo.
  • Leve para escola pedaços de cartolina, E.V.A., papel camurça e outros para os alunos confeccionarem cartões para presentear seus amigos, pais, avós.  
  • Forme bandinha de música construindo junto com os alunos instrumentos musicais de materiais recicláveis.
  • Faça uma conversação sobre os direitos dos idosos e as contribuições que eles deram a comunidade ao longo de anos de trabalho. Mostre a criança que devemos ter respeito pelos idosos, demonstrando o nosso sincero carinho e a importância que eles têm para nós.
  • Proponha aos alunos que formem um diálogo entre os personagens sobre o tema desenvolvido em sala. O professor poderá fazer com seus alunos tanto de forma coletiva ou individual. Bom trabalho! 
BANDINHA DE MÚSICA

ATIVIDADES
 Recursos:

Livro Os músicos de Bremen.
EVA. Papel camurça, cartolina para confecção dos cartões.
Materiais recicláveis para confecção da bandinha de música.

Avaliação:

Os alunos serão avaliados mediante a observação do interesse, participação e envolvimento em todas as atividades propostas. Podendo fazer a retomada dos conteúdos conforme as necessidades diagnosticadas.

Observações: 

Fazendo as devidas adaptações o professor pode trabalhar tanto com os alunos do Ensino Fundamental quanto com os alunos da Educação Infantil. 

Fonte de consulta: Revista Guia Prático para Professores. Contação de histórias
Onde encontrar a atividades sobre a história 
http://www.sosprofessor-atividades.com.br/2014/03/os-musicos-de-bremen.html

terça-feira, 26 de junho de 2018

Palestra sobre Alfabetização Método das Boquinhas


Palestra sobre Alfabetização Método das Boquinhas no Colégio Estadual Alcindo Guanabara onde trabalho formando professores. Meu nome é Claudia Corrêa e fiquei encantada por essa metodologia de trabalho  que visa alfabetizar em menos tempo e eficácia todos os alunos, inclusive, aqueles que são vistos como pessoas que não conseguem aprender. Reuni algumas informações sobre o assunto pesquisando alguns sates e postei aqui no meu blog. Para saber mais sobre o assunto as referências estão no final da página! Veja o vídeo sobre o assunto é bem esclarecedor!  
As fotos da palestra 

 Com a fonoaudióloga Camile 

Entenda o que é... 
O MÉTODO DAS BOQUINHAS da Dra. Renata Jardini foi desenvolvido inicialmente para reabilitar os distúrbios da leitura e escrita, e, atualmente é usado em salas de aula regulares, além de consultórios, escolas especializadas e APAEs de todo território nacional.
O Método das Boquinhas é um método fonovisuoarticulatório, e em sua proposta utiliza-se além das estratégias fônicas (fonema/som) e visuais (grafema/letra), as articulatórias (articulema/Boquinhas). Seu desenvolvimento foi alicerçado na Fonoaudiologia, em parceria com a Pedagogia, que o sustenta, sendo indicado para alfabetizar quaisquer crianças e mediar/reabilitar as dificuldades da leitura e escrita.
Como funciona?
O Método das Boquinhas viabiliza e favorece a alfabetização a partir da conscientização fonoarticulatória e com esse conhecimento atinge-se seguramente, e de maneira rápida e eficaz, a conversão fonema/grafema, viabilizando a compreensão e utilização do sistema de escrita alfabética da Língua Portuguesa. Assim, se torna um método oralista, fônico e articulatório de alfabetização, que além de viabilizar a aquisição da leitura e escrita pela fala, fortalece a correta articulação, propiciando uma mediação pedagógica e preventiva das alterações fonológicas de fala e processamento auditivo, reforçado nas orientações de atuação da Fonoaudiologia na Educação (CRFa- 2ª região, 2010).

Sistema de Escrita Alfabética, Método das Boquinhas - Alfabetização Multissensorial


MÉTODO DAS BOQUINHAS NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA - COM A DRA RENATA JARDINI NO RIO DE JANEIRO
O Método das Boquinhas foi aprovado como Tecnologia Educacional pelo MEC (2009 a 2012) e tem sido atestado como eficiente para alfabetizar e recuperar a alfabetização de crianças, jovens ou adultos, contribuindo para o aumento no IDEB de muitos municípios.
Sua fundamentação teórica é de base multissensorial, fonovisuoarticulatória (alfabetização que estimula o córtex cerebral motor pré-frontal), propiciando rapidez e segurança na associação do fonema ao grafema uma vez que é uma Metodologia Sintética, Concreta e Sinestésica e acrescenta o diferencial do articulema (boquinha), contribuindo para o real aprendizado e recuperação da leitura e escrita. Pode ser usada na íntegra, como Metodologia adotada pela escola, ou apenas como uma ferramenta de trabalho para a conversão grafofonêmica de algumas crianças.
Por ser uma metodologia de fácil compreensão e aplicabilidade, que respeita a aprendizagem individualizada, fornece elementos fundamentais e práticos para que esses alunos avancem no seu processo de aquisição da leitura e escrita, sendo estimulados desde o início de seu desenvolvimento.
Idealizadora do Método: Dra. Renata Savastano Ribeiro Jardini

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Roteiro para contar histórias para crianças


     Por Helena Moreno Zorman           


Use a sua voz, como se ela fosse um prolongamento do corpo. Com a voz também se emociona, se tateia, se abraça, se acaricia; 

- Use os gestos, movimente o corpo como se movimenta a alma, de modo a provocar emoções nos ouvintes; 

- Use o olhar: olhe para as imagens mentais da história que está contando; olhe para o ouvinte, olhe para dentro de si; 

- Seja espontâneo: dê emoção e volume a sua fala, esteja segura do texto que está contando; 

- Memorize o texto, de credibilidade a ele, trabalhe a pausa, o silêncio. 

Na hora de contar: 

- Olhar os ouvintes, distribuindo o olhar para todos; 

- Utilizar uma linguagem de acordo com a platéia; 

- Visualizar a história enquanto narra; criar um roteiro visual e verbal, na seqüência da história; 

- Usar gestos expressivos; 

- Não explicar a história, o texto deve falar por si; 

- Prepare a história antes; 

- Modificar seu tom de voz; 

- Acreditar na história que está sendo contada. 


Faixa etária e interesses: 


- até 3 anos - fase pré-mágica: histórias de bichinhos, brinquedos, objetos, seres da natureza (humanizados), histórias de crianças. 

- 3 a 6 anos - fase mágica: histórias de repetição e acumulativas (Dona Baratinha, A formiguinha e a Neve, Os três Porquinhos...), histórias de fadas. 

- 7 anos - histórias de crianças, animais e encantamento; aventuras no ambiente próximo: família, comunidade; histórias de fadas. 

- 8 anos - Histórias de fadas; histórias vinculadas à realidade. 

- 9 anos - Histórias de fadas com enredo mais elaborado; histórias humorísticas. 

- 10 anos em diante - Aventuras, narrativas de viagens, explorações, invenções; fábulas, mitos e lendas.    

Formas de contar histórias: 

- Simples Narrativa: é sem dúvida a mais fascinante de todas as formas, a mais antiga, tradicional e autêntica. Não requer nenhum acessório e se processa por meio da voz do narrador, de sua postura. Mãos livres, concentra-se toda a sua forma na expressão corporal. 

- Com livros: devemos mostrar o livro para o ouvinte virando lentamente as páginas com a mão direita, enquanto a esquerda sustenta a parte inferior do livro, aberto de frente para o público. Narrar com o livro não é, propriamente, ler a história. O narrador a conhece, já estudou e vai contando com suas próprias palavras. Fazer a leitura com entonação e mostrando as figuras são formas de incentivar a leitura – a criança associa ler ao prazer. 

- Com desenhos: Narramos a história a partir de uma seqüência de desenhos, sem texto (Eva Furnari). 

- Com diferentes recursos: fantoches, fantasias, massa de modelar, argila, brinquedos, miniaturas de porcelana, sementes... 

Helena Moreno Zorman 

Bibliotecária – CRB/1197 

Colégio Marista de Maringá
Saiba mais: técnicas de como contar histórias para crianças no vídeo abaixo 

Para Conhecer o curso CLIQUE na imagem!


terça-feira, 29 de maio de 2018

10 Dicas de organização da sala de aula para evitar a indisciplina: para professores inciantes




Olá! Meu nome é Cláudia, sou professora e o meu trabalho é formar novos professores. Já atuei no magistério do Ensino Fundamental no primeiro seguimento. Atualmente trabalho no curso de formação de professores no Ensino Médio Modalidade Normal. 

As 10 Dicas estão no vídeo abaixo do texto: 

O que é disciplina?

Primeiro é preciso entender que a indisciplina é a transgressão de dois tipos de regra. O primeiro são as morais construídas socialmente, com base nos princípios que visam o bem comum, os princípios éticos que são estabelecidos pela ordem social. Por exemplo não xingar, não bater. São princípios éticos que devem se manter a qualquer custo. O segundo tipo de regra é de convenção instituída e definida por um grupo como objetivos específicos que são associadas ao bom andamento da aula. Exemplo: uso de celular, conversa durante aula.

As queixas mais frequentes das escolas em relação a indisciplina são sempre as mesmas, crianças que não são educadas pelos pais como deveriam ser... respeito aos colegas, aos professores e ao ambiente de convivência coletiva são princípios que deveriam ser ensinados pela família e nisso devemos concordar. Regras morais devem ser ensinadas pela família aos seus filhos e, muitas vezes, a família tem perdido o controle da educação de seus filhos e delegado essa tarefa à escola. 
Nesta perspectiva, o professor acaba sendo responsável por impor limites e regras na sala de aula que devem ser seguidas pelos alunos para que o aprendizado aconteça. E, muitas vezes, é uma tarefa estressante e cansativa, quando não se tem um norte a seguir. Pensando nisso, fiz um vídeo para ajudar os professores iniciantes a organizar e manter uma rotina de disciplina, aprendizagem e interação positiva na sala de aula.

Professor, entenda que sem ajuda, a criança não aprende o valor das regras

A construção, reavaliação e manutenção das regras deve ser uma constante na tarefa do professor. O respeito as regras são a base do convívio em sociedade. As crianças não enxergam a utilidade das regras que não se sustentam. Elas não sentem a necessidade de respeita-las e isso acaba por criar um ambiente de desorganização, no qual o professor não encontra o equilíbrio necessário para ensinar e ter êxito em seu trabalho. Muitas vezes, o professor se sente cansado e impotente diante da situação, pensando em até desistir do magistério. 



Fonte de consulta: 
Revista Nova escola - Indisciplina Como se livrar dessa amarra e ensinar melhor Edição de outubro de 2009 

terça-feira, 8 de maio de 2018

Como contar histórias de forma lúdica e criativa


No Curso Conta de Novo você vai conhecer as principais técnicas para contar histórias de uma forma divertida, lúdica e interessante para crianças e adultos. Além disso, conhecerá os principais tipos de narrativas utilizadas, seus autores, curiosidades, entre outros. 


O que é o curso Conta de Novo?

O Curso Conta de Novo ensina através de Métodos simples, maneiras de Contar Histórias Infantis de forma Lúdica e Divertida.O conteúdo está dividido em 7 módulos.
Cada História está sendo contada utilizando-se de recursos pedagógicos conhecidos, adaptados e também inéditos.
As Histórias e atividades lúdicas são acompanhadas de moldes, os quais estarão disponíveis para você baixar e confeccionar de modo  prático e fácil. Você também terá sugestões de como contar cada história.
Em cada módulo, você poderá montar projetos para trabalhar com os alunos de forma interdisciplinar.

Saiba o que vai aprender no curso CLICANDO NA FOTO!



O Conta de Novo vai muito além de ensinar a arte de contar histórias. Todo o conteúdo compartilhado através dos 7 módulos, proporcionará um rico aprendizado para você educador, e consequentemente, para seus alunos e ouvintes. 

Assista ao vídeo e conheça a idealizadora do curso!


sexta-feira, 4 de maio de 2018

Estratégias e atividades para trabalhar a indisciplina na sala de aula

Muitas vezes, professores se sentem impotentes diante de situações de indisciplina em suas salas de aula. Ter controle de sua turma é o desejo de todo professor, mas nem sempre é assim que acontece! 

Está frustrada e cansada? Quer ter controle de sua turma? 
Conheça o Curso: Atividades transformadoras para trabalhar a indisciplina escolar  
Em muitos casos, o professor se sente desesperançado  e angustiado por não poder trabalhar os conteúdos de forma satisfatória pela situação de indisciplina que se instala na sala de aula.

Um curso online para professores que queiram aprender atividades e estratégias para diminuir a indisciplina em sala de aula, conseguindo assim um aumento no interesse, participação e desempenho dos seus alunos. É um curso baseado em estudos realizados com professores eficazes nos Estados Unidos que ajudaram alunos com diversos problemas de comportamento e social a terem um melhor desempenho e ótima disciplina. Mas será que é possível amenizar episódios de indisciplina mesmo sem ajuda dos pais? 

Sim, segundo esses autores abaixo e muitos outros. Crowley , 1993; Ferguson & Howton, 1992; Hattie.J., 2012; Haughton et. al., 1990; Parsa, 1996; Kyle, 1991; Sherrill, et. al., 1996; Jones & Versilind, 1995; Morrison, et. al. 1993; Crowley, 1993; Sartipi, 1992; Shahmoradi, 1999; Wallace, 1994 



Aproveite esta oportunidade e faça um curso com técnicas práticas e fáceis de serem aplicadas. Conheça a idealizadora do curso assistindo ao vídeo! Clique na foto para assistir!


Faça o curso agora, por um precinho especial de lançamento!  Por apenas 39,00

Este curso online contém 8 aulas com estratégias práticas e fáceis de serem aplicadas. 

Cada aula tem duração de 5 a 20 minutos. São vídeos curtos, mas com bastante conteúdo. Na primeira aula há uma explicação de como o professor deve planejar a aplicação do conteúdo em sala para garantir a eficácia das estratégias. 



E tem BÔNUS


É oferecido também um e-book gratuitamente sobre Tipos de Feedback. O uso adequado do feedback é bastante abordado no curso e é uma das ferramentas que mais impactam o processo de aprendizagem.



As estratégias abordadas neste curso foram baseadas em livros e artigos, principalmente dos Estados Unidos, que retratam estudos e informações obtidas com professores que têm alunos com alto desempenho.